terça-feira, 22 de novembro de 2016

Diário de Campanha Tormenta RPG - Tamu-ra: Episódios 5 - A Serviço do Clã Nobunaga

Nobunaga Oda
Fala galera! Hoje estamos de volta pro nosso diário de campanha de Tormenta RPG. Logo abaixo, vocês vão ler o que ocorreu nas últimas três sessões da minha campanha, que tem sido uma ótima ferramenta para testar várias opções e jogar de uma forma cheia de improviso. No entanto, tem uns jogadores que tem sentido falta de passar de nível de forma mais rápida... faz parte haha

Logo logo devo lançar uma postagem por aqui com algumas criaturas do cenário, ainda to enrolando pra não dar spoiler do que meus jogadores vão enfrentar. Fiquem ligados!

O Grupo:

Tilipe – Rakin , Qareen Usurpador 5, CB: Deixou o plano de Wynna para Tamu-ra. Em suas andanças encontrou uma biblioteca antiga onde ouviu falar de uma técnica capaz de usurpar os poderes dos deuses. Ele então buscou aprender essa técnica. Depois de chamar atenção perguntando para todos sobre isso, ele foi sequestrado e recebeu o treinamento.

Daysuke, Humano Cruzado de Tenebra 3, CN: Devoto da Deusa da noite que desceu de Vectora em Tamu-ra, após ver dois ex-companheiros vampiros serem derrotados por outros servos de tenebra e alguns aventureiros. Hoje, Daysuke busca o lendário vampiro que suga a alma das pessoas que dizem viver no império de Jade. Ele pretende se tornar um vampiro também, como todo grande servo de Tenebra.

Gustavo – Shyvaradesh, Humano Linhagem de Storm Giant 1/ Guerreiro 4, CN: Filho de dois aventureiros de Vectora, eles sempre levaram o seu filho em todas as aventuras, o que o acostumou com situações de risco. Quando adulto, ele escolheu fugir de casa e deixar Vectora, pois quando se aposentaram não queriam a mesma vida para o filho. Hoje em dia, vive em Tamu-ra como um aventureiro.

Dudu – Toru, Golias, Monge da Arte Suave 3, LN: Vindo de uma ilha dominada por sua espécie, foi recrutado como poder braçal assim como vários de sua espécie pelo imperador. Foi treinado pelos mestre do Imperador, depois de seu treinamento foi levado para trabalhar em troca de grandes recursos enviados para a sua terra. Agora vive como um fugitivo que largou a vida de gladiador escravo que foi lhe dada.

Denoel – Breareus, Meio-elfo Vassalo 4, LB: Filho de um tamuraniano com uma elfa. Antes de sua mãe perder a vida na batalha derradeira dos goblinóides com os elfos, enviou o jovem filho para Tamu-ra para servir o clã Nobunaga e se tornar um samurai um dia. Seu pai também está morto, porém a honra do clã não deixaria o jovem sem lar. Se tornou um pagem e agora deve subir na hierarquia provando-se digno, enquanto serve Son Goku, seu mestre.

Pedro - Hyrusou - Humano, Swashbuckler 3, CN: Perdeu o pai cedo, saiu de Valkaria para aprender a se virar sozinho. Virou um pirata e iniciou uma vida de crimes, agora está em Tamu-ra usando um nome falso. Ele resolveu ir para o arquipélago para entender o que tanto seu pai gostava naquele lugar.

Luciano - Kakashi (Nome Verdadeiro: Urik) - Elfo, Ladino 3, CN: Fugiu de Lenórien e resolveu se esconder de Vectora durante uns anos. Precisando de um novo lugar para se esconder, desembarcou em Tamu-ra, assumindo um nome falso. Esconde seu rosto e sua aparência, fingindo que não é um elfo. Todo o seu disfarce, na verdade, esconde o trauma por perder a sua nação.

Filipão - Harato Uraki - Humano Samurai 3, LN: Um orgulhoso samurai servo do clã Nobunaga que tem certeza que o seu clã pode dominar Tamu-ra e tirar o imperador de seu lugar. Para Harato, o tempo de Tekametsu já passou. Ele pretende caçar o Ki-rin e criar os Samurais do Trovão.

Episódios Anteriores:
Episódio 1 e 2 - Os Heróis dos Nonin
Episódio 3 - A Guerra e a Peste 
Episódio  4 - Os Servos de Tenebra e o Caminho até o Clã Nobunaga

A Aventura a seguir ocorre entre o dia 6/Luvitas/1389 e dia 20/Luvitas/1389

Bora ler!

A Mina Mal Assombrada

Os heróis estavam numa mina. O ar se condensava e um silêncio ecoava por todos os corredores cheios de produtos inflamáveis e ácidos para facilitar o processo de mineração. Logo no início havia um caminho guiado por trilhos de um carrinho, alguns dos aventureiros perceberam que ele seria útil para transportar um aliado ferido. Logo na área ampla onde terminavam os trilhos de trem, os Herói tiveram que testar sua força contra um grupo grande de mineiros Zumbis. Shyvaradesh e Breareus brilharam no combate.

Algo não parecia correto no local, toda a atmosfera era imponente. Uma escuridão densa que era apenas quebrada pela lanterna simples que Hyrusou carregava e os globos de luz mágica conjurados por Rakin. Nos primeiros corredores houve um tremor que estremeceu toda a mina; infelizmente, as vigas de sustentação onde estavam os heróis não aguentou e cedeu, ferindo todos com gravidade e esmagando o crânio de Toru, o golias.

Muito tempo foi perdido escavando uma passagem e liberando espaço para que o corpo de Toru fosse recuperado, os heróis prometeram um funeral quando deixassem aquele local. Agora que tinham menos um aliado, perceberam que o local era realmente perigoso e que os mineiros precisavam ser livrados daquele problema. Hyrusou reclamava de não poder usar suas armas e aceitou o papel de auxiliar Kakashi na busca por armadilhas.

O silêncio da região era quebrado por eventuais gritos de mineiros e até de mineiras que pareciam ecoar de todos os cantos. As próprias paredes do local eram traiçoeiras: dividindo os heróis e forçando-os por caminhos que não queriam seguir. Eventualmente encontraram mineiros que vagavam sem paixão alguma pelo corredor, apenas para atravessar as paredes e desaparecer... Em um desses momentos, Hyrusou se assustou com uma figura em pé na frente da luz feita de pura escuridão e com o formato de um humano terrível. A criatura atravessou paredes e emboscou os heróis mais na frente, sugando força de seus músculos e deixando-os um passo mais perto da escuridão.

 A cada metro pareciam mais baixos na superfície de Arton, os corredores com produtos químicos ficavam apertados e culminavam em fossos com escadas que mergulhavam na escuridão. Já haviam se passado muitas horas desde que entraram, por um momento indagaram se deveriam seguir ou retornar, mas optaram por continuar, não deveriam estar longe do que culminava todo aquele terror.

Foram surpreendidos por gritos de ajuda de uma jovem tamuraniana suja como qualquer mineiro e com ambas as pernas presas num desmoronamento, ela chorava muito e pedia ajuda. Breareus teve o ímpeto de ajudá-la, mas seus companheiros denunciaram que aquilo não era real, graças a sua visão treinada ou percepção mágica. Ele se conteve apertando o punho bem forte enquanto ouvia a ilusão implorando por ajuda com lágrimas caindo no chão de pedra da mina.

Seguiram por mais um tempo, um único corredor se destacou na arquitetura do local, era comprido, descia bastante e fazia uma grande curva no caminho, enquanto caminhavam pelo local as luzes mágicas que iluminavam os heróis começaram a piscar até apagarem - nessa hora, a lanterna do grupo já tinha se apagado a muito tempo. Logo a frente dos Heróis, numa câmara um pouco maior estava um corpo rotundo flutuando com uma grande esfera no centro. Do topo da imensa cabeça haviam tentáculos que culminavam em vários olhos menores. Kakashi era o único que enxergava melhor na escuridão e reconheceu as lendas sobre os poderes de um beholder de desativar magias no seu campo de visão. O elfo gritou e correu, levando todos os amigos que tropeçaram por toda a mina, fugindo da besta na sua área mais profunda.

Quando chegaram do lado de fora já eram esperados por um verdadeiro batalhão (veja a próxima cena). Hyrusou considerou dar um tiro lá dentro e tentar explodir tudo, porém se complicaria com a lei e se conteve. Uma criatura daquele porte estava muito acima do que os heróis conseguiriam enfrentar.

Comentários:
  • o mapa da mina era bem complexo e envolvia vários caminhos que culminavam em diferentes pontos. Praticamente todos os acontecimentos eram eventos aleatórios, desde gritos ao aparecimento das Sombras e corredores se fechando. As únicas cenas que eu preparei foram a da mineira e do beholder no final. Foi engraçado que um jogador passou por mim e tentou olhar o mapa, mas não ajudou nada hahaha
  • O jogador do Toru largou a campanha, acabei aproveitando para matar o personagem, uma forma de retirar ele do grupo. Caso ele volte poderá jogar com outro personagem ou falar que Toru renasceu.
  • Para dar o tom de suspense e terror, quando essa cena era narrada eu apagava algumas luzes do ambiente, deixando apenas uma luz branca acesa, como a invocada pelo Usurpador do Tilipe. Ajudou muito e os jogadores realmente ficavam tensos, principalmente quando eu colocava um audio de grito de filme de terror para tocar sem falar nada HAHAH
  •  um beholder no final da mina, quem iria esperar? haha a cena foi sensacional e foi bem divertida. Um dos motivos dos jogadores demorarem mais para aumentar de nível nessa campanha são situações como essa, onde correr parece ser a única opção.
Os Samurais de Nobunaga
Kansuke Yamamoto, Keen Incarnado
Son Goku caminhava em seu cavalo pelas ruas de terra batida do modesto vilarejo dos trabalhadores da mina. Os nonins do lugar possuíam cavalos razoáveis e usavam a tração animal para alguns pequenos cultivos, pagavam muitos impostos - como o de qualquer nação de Tamu-ra - e se mantinham principalmente graças ao trabalho dos mineiros da região. Havia um furdúncio no local, não só pelos espíritos que assolavam a principal fonte de renda daquele povo, mas também por um grupo de soldados acampados a alguns quilômetros dali.

Também andava pela cidade o Samurai Harato Uraki, um típico tamuraniano que usava um kimono amarrado na cintura e um peitoral de armadura sobre uma blusa mais leve, na cintura possuía sua daisho - katana e wakisahi - como o de costume. Son Goku e Uraki conheciam um ao outro, ambos serviam o clã Nobunaga e nasceram na região, ambos lutaram na batalha contra os ninjas que rolou no passado.

Ambos pararam por um momento e botaram conversa fora. Son Goku era imponente e tinha escolhas de armas diferentes dos Samurai em geral: preferia usar uma tetsubo; algo que falava muito de seu jeito. Acabou falando que visitou o território do clã Tekametsu e que tinha informações confidenciais para Oda, o Daimyo dos Nobunaga.  Harato já se mostrou um aliado diferente, pois acreditava que o imperador não merecia respeito e que devia perder seu posto. A diferença de opiniões gerou uma certa discussão.

Havia outro samurai dos Nobunaga naquele vilarejo: Yamamoto Kansuke. Ele encontrou Son Goku e Harato conversando e se lembrou de ambos, ele era muito mais despojado e sem pudores como o código de honra dos samurai manda, falva muitas gírias e gostava de brincar para se mostrar superior. Disse que enfrentou um grupo de Onis e desde então viu que era hora de alguém cuidar de Tamu-ra. Chamou os dois heróis para o acampamento nos arredores da cidade, onde foram surpreendidos por tendas e acampamento nível militar que tinha homem grandes e inchados de tantos músculos trabalhando a todo momento.

Mais tarde, Son Goku e Harato Uraki descobririam que aqueles soldados eram Homens-Javali. Durante uma conversa, Yamamoto Kansuke viu que era hora de esticar os músculos e aproveitou que Karato gabava-se de alguns feitos e optou por desafiá-lo num combate com espadas de treinamento.

A batalha foi rápida, porém chamou atenção de todos por ali. Harato foi o primeiro a agir, percebeu que Kansuke mantinha uma postura diferente e antecipou um desarme, que evitou. Porém o estilo de duas espadas de Kansuke lhe dava mais opções na hora do combate, o que lhe permitiu bloquear a investida de uma única lâmina contra seu peito com facilidade. O samurai de tapa-olho então desferiu um golpe na parte de trás do joelho de haraki, que perdeu o equilíbrio, abrindo a guarda para um segundo golpe que o acertou no queixo, retirando seu capacete de treino e o desmaiando.

Mais tarde, quando Harato Uraki acordou, todos resolveram ir até a mina encontrar os servos de Son Goku e seguir viagem juntos. Precisavam levar as informações da mina para o Daymio. Harato colocou um bife no rosto para cuidar do ferimento, enquanto entreouviu alguns homens-javali chamando Yamamoto Kansuke de keen incarnado. Ele sorriu, afinal, pelo menos havia perdido para um deus.

Comentários:
  • uma coisa que tem rolado bastante e que tem deixado as sessões mais interessantes é o jeito que o Denoel está interpretando o Breareus e o Son Goku de forma diferente. Na guilda do macaco reparei que o Guilherme que interpretava o mestre, mas achei mais legal deixar o próprio jogador interpretar seu mestre, da um tom legal e mostra como o Denoel vê o Breareus no futuro.
  • Harato Uraki ficou um samurai bem legal, mesmo que o Filipão as vezes tenha umas ideias que não combinam muito com a tendência dele (você vai ver mais na frente).
  • Kansuke Yamamoto vai ser um NPC com certa importância no futuro, ele é bem forte e é baseado em uma personalidade da história do Japão feudal. Legal que ele quis se gabar, mas acaba concordando com as ideias do personagem do Filipão.
Encontro com o Daimyo
Nobunaga Oichi
Hanamura, a capital e fortaleza principal do Clã Nobunaga era um local agitado. Quase toda família possuía um cavalo, que usavam para circular pelo território do clã.As construções possuíam estátuas de cavalos com o típico ar artístico tamuraniano; um porto ao norte era usado pela marinha e pelos comerciantes do clã e aliados. Graças a presença de figuras de figurões do clã entre os aventureiros, não foi nada difícil marcar um encontro com Oda Nobunaga.

A reunião foi rápida e liderada por Harato e Son Goku, que dialogaram pelo grupo com Oda e sua bela esposa: Oichi Nobunaga. Uma reunião foi marcada para a noite daquele dia, onde os assuntos referentes a guerra seriam resolvidos. Enquanto isso, Oda conversaria com Rakin e Shyvaradesh sobre a sua esfera de Lin-Wu, que ficava numa imensa sala de tesouro. Porém, a esfera não estava no lugar, após uma investigação rápida, Rakin percebeu marcas de invasão numa das várias janelas do lugar, o problema é que todas as janelas possuíam barreiras mágicas. O ladrão devia ser capaz de dissipar magias poderosas para entrar num lugar como aquele.

Rakin e Shyva saíram desconfiados do local. Oda parecia alguém que via a importância de tal artefato, mas os heróis não acreditavam que ele foi roubado, para eles a melhor teoria é de que o próprio Daymio escondeu o artefato. Escolheram contar sobre a missão para Kakashi, assim arranjando um novo aliado na busca.

Mais tarde, um grupo de diplomatas e especialistas dos Nobunaga se reuniu com o líder do clã. Além deles, estavam: Son Goku que levou seu servo Breareus; Harato Uraki, Kansuke Yamamoto e um político Élfico que estava abrigado no território do clã. O encontro foi como qualquer encontro de políticos: tenso.

Haviam várias possibilidades a se considerar: a antiga amizade de Oda e Tekametsu-sama; Os perigos que o clã correria caso se aliasse ao imperador e caso virasse seu inimigo; as conquistas que o clã poderia ter; a morte dos nonin e samurai que lutariam na guerra. O político élfico foi a favor da pás, Son Goku queria uma aliança com o imperador; enquanto Kansuke e Harato queriam que o clã Nobunaga dominasse toda Tamu-ra. Depois de muito ponderar, Oda optou por permanecer neutro e enviar diplomatas e servos de seu clã para os outros territórios. Ele aceitou uma oferta de Kansuke e iria se fortificar e armar sua marinha com canhões para lidar com os Wei que poderiam se tornar inimigos e viriam com força do mar.

Os heróis seriam enviados para o território para lidar com as questões do clã. Quando chegou no seu pequeno casebre, Breareus tirou sua roupa e deitou-se empolgado com tudo que vivenciara, tinha gosto pela política e sonhava participar mais ativamente no futuro. Uma mulher abriu a porta do servo meio-elfo, ela retirou suas vestes que ocultavam sua identidade e se revelou como Oichi Nobunaga. Ele se abaixou, tocou o rosto do meio-elfo e os dois se beijaram.

Comentários:
  • A cena acima resume uma sessão bem política e cheia de roleplay que rolou. Alguns personagens não participaram tão ativamente, mas abri a cena política para todos participarem, no lugar de políticos do clã, afinal, aquilo definiria muito do que aconteceria no futuro da campanha.
  • Meu cunhado participou desta sessão, como ele é advogado e sempre gostou de jogos como Age of Empires e Shogun: Total War , pegou o jeito rapidamente do conflito e acabou dominando a cena, mesmo que tenha feito uns erros de iniciante.
  • O romance entre Oichi e Breareus serve para dar mais drama pra trama da campanha, e também para criar uma nova NPC feminina que eu to sentindo falta. Ela presenteou o meio-elfo com um pedaço de pergaminho que permite que os dois conversem à distância.

Viagem até o território Whey

Depois de algumas negociações, o grupo acabou resolvendo pagar um navio mais rápido do que aquele disponibilizado pelo clã Nobunaga. Viajariam a favor num barco que transportava cavalos. Son Goku e Breareus deixaram suas montarias em suas respectivas casas e se prepararam para a viagem.

O caminho marítimo não duraria mais do que alguns dias com o belo junco que usavam. Poucos encontros com monstros ocorreram durante a viagem, exceto um único e fatídico encontro. Numa noite de chuva fraca, um trovão revelou uma forma cilíndrica e negra de dezenas de metros de altura com imensos olhos amarelos. A coisa era um Umibozu, que atacou um navio que também fazia a travessia. Hyrusou pegou o controle do navio, enquanto o capitão e o imediato o auxiliavam com técnicas para desviar com a embarcação e se guiar de forma mais rápida nas ondas crescentes que aceleravam o monstro e freavam o navio.

Mesmo a contragosto, o ex-pirata levou o junco até alguns sobreviventes da embarcação próxima, foi nesse momento que o Umibozu se aproximou e desferiu ataques poderosos com os seus tentáculos contra a embarcação, abrindo rombos no navio. Harato Uraki tentou lutar contra a criatura, cortando seus tentáculos, enquanto os outros aventureiros usavam uma única balestra do navio para atacar a criatura. A luta foi em vão, em poucos ataques o navio começou a afundar. Breareus levou os cavalos para a parte de cima, alguns marinheiros já haviam abandonado a embarcação e remavam nos mares de tormenta; o Herói Rakin conjurou os poderes dos deuses como jamais fez antes e permitiu que todos cavalgassem no mar cheio de ondas. O Umibozu não era páreo para os cavalos treinados.

Vários marinheiros morreram, porém a maioria foi salva... Uma vitória amarga, do tipo que os heróis estavam acostumados. Eles acampavam numa ilha, enquanto o capitão do navio navegou e encontrou um antigo conhecido que resgatou a todos. A viagem durou um dia a mais do que o esperado.

Comentários:
  • No meio da viagem o Filipão quis convencer todo mundo a caçar baleias. Tudo pq ele viu um filme que as pessoas fazem isso, eu falei com ele que o navio não era preparado e além de não ser, eu não tenho ideia de como narrar esse tipo de cena haha
  • O Umibozu tinha uma ficha de Kraken com algumas habilidades únicas diferentes. Ele vai estar na postagem de monstros de Tamu-ra, fiquem ligados!
  • A cena de fuga a cavalo no mar foi simplesmente ÉPICA! Eu narrei que o Rakin ficou um dia sem conseguir usar magias e que sonhou com vários deuses, ele chamou atenção indesejada durante o fato.
Inevitável
No último dia de viagem, o grupo pôde ver um imenso meteoro prateado voando em direção do território Wei. Quando chegaram na ilha tropical e cheia de navios e pedras que protegem a costa, os heróis perceberam que qualquer clã que tentasse atacar os Wei teria uma experiência terrível.

O povo usava vestes ligeiramente diferentes de Tamu-ra, com kimonos menores e mais chapéus. Son Goku ficou responsável por organizar a reunião com os Wei, enquanto isso os heróis foram conhecer a cidade. Rakin e Harato foram no porto investigar os boatos de um homem de ferro de quatro metros da altura que saiu do mar.

Ao chegar no porto, muitas pessoas contavam histórias cada vez mais absurdas sobre a criatura que saiu da água. O único que foi mais coerente foi um homem calvo com uma cicatriz na cabeça, ele falou que o povo exagerava, que o homem de ferro tinha entre 1,7 m e 1,8 m; ele então conversou com os heróis e perguntou por que estavam ali. Quando eles se apresentaram houve uma surpresa.

O homem se chamava Probo e disse que estava ali para levar Rakin, o Qareen roubou poderes dos deuses e devia pagar por isso, os próprios deuses iriam julgá-lo por suas ações. Harato tentou intervir e ao tocar Probo sentiu que sua pele era fria como metal. Rakin correu, mas com uma palavra mágica do homem misterioso ele ficou paralisado no ar. Probo se aproximou e se teletransportou com o qareen para outro plano.

Harato ficou desesperado e tentou achar um mago poderoso na cidade, mas não havia nenhum capaz de viajar entre planos. Os outros heróis também não sabiam o que fazer, o único mago que eles conheciam era um tarado que vivia numa ilha distante. A única ferramenta que eles podiam usar era sua fé e orações para um bom destino de seu amigo.

Comentários:
  • Eu já tava planejando querendo introduzir os inevitáveis na campanha a um tempo, acho o conceito muito foda e são ótimos para aparecer tanto como aliados, quanto como adversários em campanhas.
  • Achei uma falha da galera não ir atrás do Rakin, ele era potencialmente o personagem mais poderoso do grupo. Maaaas, eles são os jogadores e devem agir como quiser, porém não vou matar o personagem, se ele aparecer de novo deve ter outra classe.
Encontro com o Almirante
Almirante Yi do Clã Wei
Quing Jong Wei, o Daymio do clã Wei não pôde receber os heróis, por isso ele destacou o almirante que mais confiava em sua marinha para fazer as negociações em seu lugar, seu nome é Yi. O Encontro aconteceu num forte na costa oeste do território Wei, Son Goku levou Breareus e os aventureiros como guarda-costas. Os guardas vestiam-se em grandes jalecos reforçados com metal e usavam capacetes com pontas no meio.

O local da reunião era uma sala a meia luz com cadeiras e mesas de madeira, algumas cadeiras ficavam do lado direito para quem aguardava o momento de falar com Yi. O homem de meia idade tinha o rosto com várias micro cicatrizes que marcavam uma vida de batalhas, as rugas denunciavam tudo o que ele já viu. Seu uniforme era mais luxuoso que o de seus soldados (talvez até mágico), ele demandava respeito e já tinha feito o dever de casa sobre o assunto da conversa.

Os Nobunaga eram neutros, porém os Wei não tinham relações boas com o imperador, o que deixava os heróis numa saia justa. Abrir os portões para os Wei era mal negócio, geraria desconfiança do imperador e abriria a guarda do Clã. A conversa então mudou o rumo para uma negociação sobre uma forma de manter os dois clãs como aliados. A ideia foi trocar os filhos dos clãs, já que os herdeiros não estavam em idade de casar - o que acabaria com a neutralidade dos Nobunaga.

Durante a conversa, Hyrusou fez piadas e desrespeitou Yi. Son Goku pediu para ele se retirar, pelo desrespeito o ex-pirata seria obrigado a sofrer 40 chibatadas no dia seguinte. Outro fato interessante do diálogo foi o aparecimento de dois homens misteriosos que queriam conversar com Yi. Um deles era um samurai com quase 2, 5 m de altura com uma armadura completa que escondia sua identidade. O outro era magro, baixo e forte; usava um kimono vermelho sem mangas, máscara e chapéu de palha. Ambos riram quando Hyrusou foi retirado do local.

Depois da reunião, Son Goku demitiu Hyrusou pelo desrespeito. Harato Uraki conversou com o ex-pirata exigindo que ele mostrasse respeito, para que assim fosse respeitado também. Os dois ouviram gritos estranhos na praia e foram averiguar, o que acabou os metendo num combate que envolvia Homens-peixe que atacavam Kappas. Um homem que cobria o corpo de negro e devoto de tenebra os auxiliou, seu nome era Daysuke. Os dois heróis fugiram do combate, pois não sabiam que deveriam ajudar, sobrou para o homem de preto auxiliar o Kappa e descobrir que aquele tipo de ataque era comum na ilha.

Mais tarde, Daysuke encontrou a todos numa espécie de taverna, ele foi convidado para se unir ao grupo numa exploração futura. Eles investigariam onde caiu o meteoro que viram quando estavam no mar.


Comentários:
  • O Almirante Yi é inspirado numa figura real, se quiser saber a história veja esse vídeo aqui
  • A luta dos Kappa com os Homens Peixe envolve uma das várias quests em aberto que os jogadores tem no momento.
  • Daysuke é o novo personagem do Tilipe, gostei bastante dele. O jogador sentiu falta de cenas do Rakin, mas eu avisei que só rolaria se os outros jogadores corressem atrás do aliado.

A Fortaleza que Caiu dos Céus
inspiração para a aventura
O grupo viajou pelo território Wei, sem a companhia de seu mentor, que preferiu ficar para resolver coisas diplomáticas. Um alívio para Breareus, que podia testar sua habilidade com os companheiros. Hyrusou adotou uma nova postura depois de tomar as chibatadas e ficou mais respeitoso; os outros aceitavam aos poucos Daysuke como novo companheiro.

A viagem até o local onde o meteorito caiu demorou cerca de 3 dias. Harato foi o guia do grupo durante o percurso. A viagem não teve nenhum encontro perigoso, o único evento digno de nota foi a passagem de um mago com um burro e dois baús, um com moeda e o outro sem. Os heróis apostavam 1 TO para descobrir em qual dos baús o dinheiro estava, depois de 20 derrotas, o grupo desistiu. O velho mago era esperto e saiu bem feliz.

No terceiro dia, os heróis chegaram num planalto, um pequeno vilarejo podia ser visto ao norte e em morros próximos o grupo via um santuário esmagado por uma imensa fortaleza no formato de um disco cor de Mithril.  Invadir a fortaleza foi difícil, ela parecia resistente a porta era intransponível para o ladino Kakashi. Shyva e Breareus tiveram que arrombar a entrada e depois arrombar a segunda entrada. O chão era acolchoado, leve de pisar. O ambiente era escuro mas parecia ser feito de metade rígido, mas não frio como metal. Portas que pareciam feitas de madeira surgiam na escuridão e no centro do Lobby principal havia um grande tubo de vidro escuro. Os heróis viram que podia haver algo dentro do tubo, mas não identificaram o que era e nem conseguiram arranhá-lo.

O local era escuro e silencioso, depois de algumas discussões, escolheram por andar para um corredor a esquerda, ouviram um barulho. Daysuke era o único enxergava no escuro e foi na frente, olhou o corredor e viu um homem de armadura completa fechada, com cerca de dois metros e que se movimentava por uma espécie de roda. Os heróis enfrentaram o golem, o que faria eles se arrependerem mais tarde.

O primeiro ataque do inimigo foi uma baforada de gás tóxico que enfraqueceu o corpo de alguns deles, a ponto de matar Hyrusou na hora! Os heróis tentaram lutar, mas os ataques mal venciam a carapaça metálica da criatura. Shyva era o mais forte e aquele que mais feriu a criatura. Kakashi lembrou os outros do bolinho que ganharam de um kitsune e usou o item para se curar do veneno. Shyva estava na frente e caiu para os ataques do golem; Harato caiu logo depois. A criatura ficou por cima de ambos, esmagando seus ossos. Kakashi foi o primeiro a fugir, enquanto Breareus orava para todos os deuses por uma chance. Milagres fizeram criaturas místicas ajudarem os heróis, mas nenhuma era forte o suficiente. Daysuke, Breareus e Kakashi deixaram aquele local.

Kakashi e Breareus terminaram o dia discutindo por desconfianças de outrora. Kakashi tentou roubar o velho dos baús, o que deixou o meio-elfo transtornado. Os ânimos estavam exaltados. Aquele lugar era perigoso e eles não puderam fazer nada. O corpo de Hyrusou foi o único salvo no processo. Os heróis terminaram a noite enterrando o aliado.

Continua no Próximo Episódio....

E aí, o que acharam? Muitas mortes e política nas últimas aventuras. Eu já estou preparando uma postagem com as fichas e descrições de alguns dos monstros de Tamu-ra encontrados pelos jogadores. Tomara que vocês aproveitem em sua campanha.

Abraços ou beijos

12 comentários:

  1. Kakashi e Breareus terminaram o dia discutindo por desconfianças de outrora. Como assim? O "off" de Luciano depois da partida vai valer? E nem tinha cabimento ele sai falando aquilo depois de vários personagens terem acabado de morrer, eu falei em "OFF" que acho que o destino dos atuais personagens deve ser se separar, e do nada ele me chama para mão em on?! Não acho que faça sentido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vcs terminaram discutindo, não que fosse muita coisa

      Excluir
    2. Sim, mas o personagem dele não tinha pq falar aquilo do nada, então não é válido, eu disse que meu personagem pensa em corta os laços, e ele chamou para a mão sem mais nem menos.

      Excluir
    3. Eu só botei q vcs discutiram, não considerei a briga, fica tranquilo

      Excluir
  2. Acabou o papo, agr só supapo!

    ResponderExcluir
  3. Tava no aguardo desse diário. Manda mais! Campanha foda, to estrando uma "parecida" com o objetivo de defender e fortalecer um feudo em Tamura com direito a recrutamento de npcs com habilidades importantes pra ajudar o feudo e o grupo, estilo JRPG msm. Enfim excelente trabalho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só uma coisa que lembrei de perguntar! Vc mestre deixou o cara ser um usurpador de tendência bondosa de boas? Não impactou na campanha ou na interpretação do cara? Abs

      Excluir
    2. Nem lembro se usurpador tem restrição de tendência e se tiver eu acho q não influenciou não ahha O jogador nunca usava os poderes de forma ruim, ele só usava fora da lei, por isso a tendência CB estava bem correta.

      Maneiro! Vc mestra na nova ou antiga Tamu-ra? Que bom que ta curtindo, logo logo devem sair as fichas de alguns monstros que eu adaptei, fique ligado.

      Abraços

      Excluir
    3. Eu mestro na nova Tamu-ra mas to planejando fazer uma viagem no tempo com o grupo pra resgatar uns artefatos que ajudarão na reconstrução e defesa do feudo deles. De fato usurpador tem restrição, só pode tendência maligna, mas a sua explicação me deu uma ideia sobre uma variante da classe em que bons usurpadores tiram o poder de deuses maus e vice versa. Daria uma ótima trama. Abs

      Excluir
    4. Nada po, continua acompanhando! Abraço

      Excluir

Qualquer forma de agressão, ofensas, desrespeito, discussões, preconceito racial, sexual, religioso ou ético, será banido. Somos jogadores de RPG, e não de futebol... E se você é Troll eu sou Elfo (Away)